Goiânia, Domingo, 17 de junho de 2018
11184825 Visitas
Notícias UGOPOCI

13/03/2018 - Família cobra apuração sobre morte de geólogo após abordagem policial, em Catalão


A família do geólogo Helton Antônio Rita, de 42 anos, pede explicações sobre a morte dele, na última sexta-feira (9), em Catalão, região sudeste de Goiás. Segundo os parentes, ele foi abordado por uma equipe da Polícia Militar (PM) quando quando estava com o filho - ambos tinham ido comprar cerveja. Na volta para casa, ele foi preso por embriaguez ao volante. A corporação afirmou que, no caminho para a delegacia, ele teria infartado e encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, onde morreu.

Os parentes, no entanto, questionam a versão e dizem que ele não tinha problemas cardíacos. Segundo a auxiliar de serviços gerais Helga dos Santos Rita, de 40 anos, irmã da vítima, Helton e o filho, de 18 anos, pararam em uma mercearia antes e ele tomou duas cervejas. Quando retornava para casa, houve a abordagem.

“Meu sobrinho, filho dele, veio avisar e minha mãe foi pra delegacia. Chegando lá disseram para ela que ele tinha passado mal e estava na UPA. O médico falou que ele já tinha chegado morto e que tinha sido um infarto, mas ele nunca teve problema cardíaco nem nada”, afirma.

O G1 tenta contato com a UPA de Catalão desde a noite de segunda-feira (12), mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem.

A reportagem também falou, na manhã desta terça-feira (13), com o secretário de Comunicação da Prefeitura de Catalão, Cairo Roberto dos Santos Batista. Ele informou que irá encaminhar um posicionamento sobre o caso via email.

Investigação

O delegado responsável pelo caso, Vitor Magalhães, informou que instaurou inquérito para apurar o caso na segunda-feira (12). Segundo ele, as pessoas envolvidas serão chamadas para prestar depoimento.

“A Polícia Civil já requisitou urgência no laudo cadavérico que vai atestar causa da morte e, a partir de amanhã, vamos começar a ouvir policiais militares envolvidos, o filho da vítima e familiares também serão chamados para dar sua versão”, esclareceu.

O que diz a PM

Por meio de nota, a Polícia Militar lamentou a morte do homem “por causas naturais”. A corporação relata que, ao ser abordado, o homem aparentava estar bêbado e o levou para passar pelo teste do bafômetro, que confirmou a embriaguez. Com isso, a corporação o prendeu e o levava para a delegacia, quando “perceberam que o Sr. Helton estava desacordado e imediatamente prestaram socorro”.

O geólogo foi levado para a UPA da cidade e, conforme a nota, o médico que prestou o socorro constatou que ele morreu por causa de uma parada cardíaca. Ainda assim, a PM informou que “será instaurado Inquérito Policial Militar para apurar o caso”.
 

Por Vanessa Martins, G1 GO