Goiânia, Sábado, 16 de dezembro de 2017
10653286 Visitas
Notícias UGOPOCI

05/12/2017 - Absolvição

O policial civil Levy Moura de Sousa foi absolvido nesta segunda-feira (4) da morte do estudante e comerciante Luan Vitor de Oliveira Souza, de 20 anos, durante um show na Exposição Agropecuária de Goiás. O crime aconteceu há quatro anos. O júri popular considerou que o réu agiu em legítima defesa.

O pai de Luan, o comerciante Carlos José de Souza, disse que a família vai recorrer da sentença. “É muito revoltante ele ser absolvido. Foi como se o policial fosse a vítima e o meu filho, o culpado, como se meu filho estivesse sendo julgado”, disse.

Já a defesa de Levy comemorou o resultado. “Só retrata a verdade. O Luan foi acompanhado com alguns amigos que foram para furtar objetos lá e quando um deles tentou furtar a câmera da namorada do Levy, houve a briga que acabou na morte da vítima”, disse o advogado Thales José Jaime.

Crime

Luan morreu no dia 18 de maio de 2013, durante o show do sertanejo Lucas Lucco. Imagens gravadas por um cinegrafista amador, que não quis se identificar, registraram o crime.

No vídeo, três pessoas aparecem brigando no meio da arena do Parque de Exposições. Segundo Levy relatou à polícia, ele e o filho tentavam imobilizar um homem, apontado como amigo de Luan, que teria roubado a câmera fotográfica da namorada do policial.

A vítima só aparece nas imagens pouco antes de ser atingida por um tiro no peito. O jovem chegou a ser socorrido, mas morreu no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

Denúncia

Ainda em 2013, no dia 10 de junho, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou o policial por homicídio duplamente qualificado. Para o promotor de Justiça Maurício Gonçalves de Camargos, a vítima não participava da briga que resultou no crime, o que caracteriza a motivação fútil. Ele também argumentou que o tiro surpreendeu Luan, o que dificultou a defesa da vítima.

Ainda de acordo com a denúncia, Luan estava a aproximadamente 15 metros do local onde começou a confusão, mas aproximou-se, apenas por curiosidade, para ver o que estava acontecendo.

Na época, o policial disse que não teve intenção de matar ninguém ao sair de casa armado e que agiu para se defender de ladrões que teriam acabado de roubar a câmera fotográfica da namorada dele. Ele afirmou que queria proteger sua família.

Fonte: G1 Goiás